É falta de tempo ou de prioridade?

A impressão de que o dia está curto de mais para dar conta de tantas coisas – sim, muitas vezes é apenas uma impressão – é recorrente hoje em dia entre nós humanos-ansiosos-atarefados. São tarefas extras do trabalho, questões familiares, domésticas e uma infinidade de atividades que provocam uma sensação de que estamos muito ocupados e não temos tempo para mais nada. No meio desse turbilhão, você esbarra em um amigo muito querido que não via há algum tempo, trocam algumas palavras rápidas – afinal, cada um está indo resolver algo urgente – e seu amigo sugere “vamos marcar um café uma horas dessas?” Ao que você responde com empolgação: “Ótimo, vamos sim! Anota meu whatsapp e vamos combinar”.

A partir daí, o café com o amigo se torna uma novela que, até chegar ao último capítulo, tem cenas de várias tentativas de agendar o encontro frustrado: um dia você não pode, no outro dia é o amigo que está muito atarefado. E quando finalmente marcam a data do café, alguém, de última hora, avisa que surgiu um compromisso. Mas será que em sete dias da semana não sobra sequer uma horinha para reencontrar um amigo e conversar apreciando um saboroso café?

O problema começa quando a gente diz que “não sobra tempo”, pois tudo o que sobra vem depois, ou seja, não é prioridade, não é importante. Dizer então que não sobra um tempinho para um café com o amigo é o mesmo que dizer “olha, eu vou resolver minhas coisas e, se eu não tiver nada mais importante para fazer, eu marco com você”. Pronto, o amigo ficou em segundo, ou melhor, em último plano, o que sugere que ele não é importante para você ou que seu tempo é precioso demais para gastar com alguém que não vai pagar suas contas no momento. É duro ler isso? Parece que é, mas se você se questionar o porquê de adiar determinados encontros que, sim podem se agradáveis, vai perceber quais suas reais prioridades na vida. Onde se encaixam as pessoas – além dos familiares – na sua lista de preferências?

Certamente você já marcou uma reunião com alguém e esse alguém avisou em cima da hora que não poderia lhe encontrar em virtude de um compromisso. Mas peraí! O compromisso não era com você? Bem, é provável que o outro encontrou algo mais importante ou divertido para fazer em vez de estar com você. Doloroso, não é? Sim, é muito chato remanejar algumas atividades para reservar um tempo para estar com uma pessoa que, nos quarenta e cinco do segundo tempo, avisa que não vai comparecer.

Se a gente sabe o quanto o tempo é importante nestes dias, devemos saber também que escolher passar um momento com alguém que prezamos é um ato de carinho, de atenção, de amizade, compaixão ou o que quer que de bom seja. Por isso, quando uma pessoa estiver lhe esperando em alguma cafeteria da vida, saiba que ela realmente que estar com você. E quando você entrar no piloto automático e pensar em mandar um recado de que vai adiar o encontro porque surgiu outro compromisso, pergunte-se: é falta de tempo ou de prioridade?


Maiana Antunes – Consultora em Comunicação / Jornalista / Pós-graduada em Master Trainer Training em Programação Neurolinguística / Em processo formativo das Constelações Familiares e Sistêmicas Integrativas com Tereza Brandão / Em Formação para Constelador Familiar Hellinger®